41ª Feira do Livro | Viana do Castelo, 2021

PROGRAMA

17 julho I Sábado

10h30
Inauguração da exposição da obra gráfica de José Manuel Saraiva -"Uma margem distante"
Ala Jorge Amado da Biblioteca Municipal


18h00
Abertura da 41.ª Feira do Livro no Jardim Público

21h30
Espetáculo musical PHOLE Varanda da Biblioteca Municipal

 









19 julho I Segunda-feira
18h00
Apresentação, por José Viale Moutinho, do livro "Robim de Campanha - um patife sedutor”, de Mário Silva Carvalho, vencedor da 1.ª edição do Prémio Literário Luis Miguel Rocha. Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal

20 julho I Terça-feira
18h00
Apresentação do livro "Espelhos Vadios - Novas Contos”, de Américo Carneiro. Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal
21h30
Animação infantil - dramatização da obra: “Ferozes Animais Selvagens", de Chris Wormell, pelos Serviços Educativos da Biblioteca Municipal Secção Infantil da Biblioteca Municipal

21 julho I Quarta-feira
18h00
Apresentação do livro “Je suis là où to ne m'attends pas", de Deolinda da Silva. Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal

22 julho I Quinta-feira
18h00
Apresentação, por José Luis Carvalhido da Ponte, do livro "Amar um País é cuidar e retribuir”, de Defensor Moura. Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal

23 julho I Sexta-feira
18h00
Apresentação do livro “Filhos da Cidade Marta", de Francisco Ceia.
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal
21h30
Animação infantil- dramatização da obra: "A tartaruga que decidiu ser e fazer diferente”, de Sofia Coelho Branco, pelos Serviços Educativos da Biblioteca Municipal.
Secção Infantil da Biblioteca Municipal

24 julho | Sábado
11h00
Apresentação, por Jorge Silva, do livro “Ilustradores portugueses na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo: 2014 - 2021".
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal
17h00
Apresentação do livro "Os Últimos Anos do Homem-Celhas", de Miguel Falcao, vencedor Premio Lucilo Valdez. Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal 21h30 Espetáculo musical RUI DAVID -"NU, EM CONTRALUZ" Varanda da Biblioteca Municipal


26 julho I Segunda-feira
18h00
Lançamento da revista “A Falar de Viana" (Vol. X da 2.a serie, 2021)
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal


27 julho | Terça-feira
18h00
Apresentação do livro "Álbum de plantas de tudo o que contem a Misericórdia!”
Sala auto Viana da Biblioteca Municipal
21h30
Animação infantil - dramatização da obra: “0 Gato Gui e os monstros", de Rocio Martinez, pelos Serviços Educativos da Biblioteca Municipal.
Secção infantil da Biblioteca Municipal
28 julho | Quarta-feira
18h00
Apresentação do livro ”Telhado Aberto”, de Deolinda da Silva.
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal

29 julho I Quinta-feira
18h00
Apresentação do livro "Reflexões”, de Filomena Freitas.
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal

30 julho I Sexta-feira
18h00
Apresentação do livro "Cancro, Covid e Vida", de Céu Matos.
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal
21h30
Animação infantil - dramatização da obra: “Tenho mesmo, mesmo de fazer chichi!”, de Karl Newson, pelos Servicos Educativos da Biblioteca Municipal.
Secção infantil da Biblioteca Municipal

31 julho | Sábado
11h00
Apresentação do livro "Heráldica: roteiro no concelho de Viana do Castelo", de Francisco Carneiro Fernandes
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal
21h30
RECITAL DE POESIA E MUSICA
Vitor de Sousa (declamação) ; Yan Mikirtumov (piano)
Sala Couto Viana da Biblioteca Municipal
Nota: Os espetáculos nas noites de 17, 24 e 31 obrigam ao levantamento antecipado da reserva que devera ser feita previamente. Todas as outras atividades estão sujeitas a limitações no número de presenças. A Feira do Livro no jardim público marginal funciona diariamente das 18h as 23.30h, exceto sexta-feira e ao sábado cujo horário de encerramento 6 as 24 h.

AUTORES DA CIDADE DE VIANA do CASTELO

 

LIVRO:

AUTORES DA CIDADE DE VIANA do CASTELO



Versão - Digital  /  Versão Impressa - Biblioteca Municipal

Exposição - Catálogo

Edição de apoio à exposição com o mesmo titulo, comemorativa do 171º aniversário da elevação de Viana a cidade, patente ao público nos Antigos Paços do Concelho.

Comemorações do Centenário da Morte - JOÃO DA ROCHA (1921 | 2021)

JOÃO DA ROCHA, um escritor a recordar

(n. Viana do Castelo, 17 de abril de 1868 | m. Lisboa, 1 de fevereiro de 1921)




A Câmara Municipal de Viana do Castelo está a promover vários eventos para assinalar o centenário de um dos mais ilustres escritores e figuras públicas da cidade, João da Rocha (n. 1868 - m. 1921). 





Documentário :

João da Rocha: Centenário da sua morte


Edição do Livro:

A sabedoria da paciência: antologia do centenário de João da Rocha (1868 - 1921), do autor Manuel Curado.

 -    Edição da Câmara Municipal (para venda na Biblioteca Municipal)


EXPO Bibliográfica:



"Mas quem foi João da Rocha? 

Conhecido como poeta, historiador, ensaísta e contista, João da Rocha, cognominado de Frei, iniciou os seus estudos, destinando-se à carreira das armas no Colégio Militar e assentou praça em infantaria, como voluntário, a 16 de Julho de 1886, tendo sido promovido a 1.º sargento aspirante nesse mês. João Loureiro da Rocha Páris Barbosa e Vasconcelos, nome completo deste ilustre vianense, fez, posteriormente, o curso matemático para as armas superiores, na Universidade de Coimbra, entrando para a Escola do Exército, onde, por não conseguir vencer a equitação, teve de abandonar a arma de artilharia, e passar para a de infantaria. João da Rocha foi promovido a alferes para o regimento de infantaria n.º 19, em 12 de Dezembro de 1896. Pouco tempo esteve ao serviço, passando à inactividade temporária, por licença ilimitada, de que se apresentou em 1 de Abril de 1916, passando à reserva em 21 de Outubro do mesmo ano. Apesar de ter sido chamado a prestar serviço activo, de 17 de Novembro de 1917 a 2 de Junho de 1918, em infantaria 2, e na Farmácia Central do Exército desde 3 de Junho de 1918, foi mandado apresentar-se na Presidência da República, em 4 de Outubro de 1919, onde ficou em serviço como secretário particular do então Presidente da República António José de Almeida. 

Tendo em conta a rigidez de princípios e a acentuada bondade de sentimentos, acrescendo a aptidão natural de ser artista e erudito, João da Rocha nunca poderia ser um bom militar. O seu anseio era a soledade contemplativa, meditar, sonhar; o seu trabalho predilecto era o estudo e a investigação. A vida era-lhe agradável entre livros e documentos ou entre árvores e flores. 

Para além de ter colaboração dispersa por várias publicações, João da Rocha fundou e dirigiu o jornal Fôlha de Viana e a revista Límia. Foi também professor do liceu e presidente do Instituto Histórico do Minho. Publicou diversos títulos entre os quais se destacam: Nossa Senhora do Lar (1900), livro de poesia, cuja receita foi aplicada a auxiliar o cofre da Real Associação Humanitária de Socorros Mútuos Barcelinense (Barcelinhos); Memórias de um Médium (1900); Angustias (1901); A Guerra Peninsular (1908); Homens e Árvores (1908); Portugal e as Invasões Francesas (1909); A Lenda de Sagres – Observações a um opúsculo do mesmo título, de J. Tomé da Silva (1915), com o pseudónimo de “João Ninguém”; A Lenda Infantista – Observações a um estudo do Sr. Dr. Teófilo Braga (1915); 1416-1916 – Celebração do Quinto Centenário da Abertura do Caminho marítimo da Europa à Índia (1916)." *Viana, Rui A. (2021). As Bibliotecas e a evocação de autores


PROGRAMA do Colóquio que decorreu no dia 19 de Junho 2021.

"[...] colóquio científico sob o lema “Literatura, História e Intervenção Cívica”, participaram os seguintes palestrantes: Dr. Álvaro Rocha Vasconcelos (representante da família); Prof. Dr. João Paulo Oliveira e Costa (FCSH da Universidade Nova de Lisboa); Dr. António José Barroso (AEA de Viana do Castelo); Prof. Dr. Artur Anselmo (FCSH da Universidade Nova de Lisboa e Presidente da Academia de Ciências de Lisboa); Dr. Porfírio Pereira da Silva (Biblioteca Municipal de Viana do Castelo); Dra. Cláudia Costa (Doutoranda ILCH da Universidade do Minho); Prof. Dr. José Carlos Seabra Pereira (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), Prof. Dr. Manuel Curado (ILCH da Universidade do Minho) e Dr. Joaquim Domingues (AE Sá de Miranda, Braga).
Nesta jornada cultural, que contou com a presença do Presidente da Câmara, Eng. José Maria Costa, foi ainda apresentado o livro “A Sabedoria da Paciência: antologia do centenário de João da Rocha (1868-1921)”, da autoria do Prof. Dr. Manuel Curado, numa edição da autarquia vianense que, deste modo, quis lembrar o ilustre escritor vianense que foi João da Rocha." *Viana, Rui A. (2021). 
As Bibliotecas e a evocação de autores


+ INFO | Portal da Biblioteca Municipal



*Fonte: Viana, Rui A. Faria (2021,25 junho). As Bibliotecas e a evocação de autores. Correio Do Minho. Acedido 25 de junho de 2021: https://correiodominho.pt/cronicas/as-bibliotecas-e-a-evocacao-de-autores/13344?fbclid=IwAR1w0XI5fOqDwVHzC-JA7RLcyeFWtYwFhhiu_LG85Y_5SYOzWXmdsR0lDTg)



17 de maio | Dia das Letras Galegas

 


O Dia das Letras Galegas comemora-se em homenagem à criação literária e em defesa da língua galega. A celebração deste dia iniciou-se em 1963, coincidindo com o centenário da primeira edição dos “Cantares Galegos” de Rosalia de Castro (17 de maio).

A Câmara Municipal e a Biblioteca Municipal de Viana do Castelo assinalaram o dia 17 de maio, o Dia das Letras Galegas.

2021 | Xela Arias (Sarria, 1962 – Vigo, 2003), escritora, poeta e tradutora é a personalidade literária homenageada pela Real Academia Galega.






Vídeo | Mensagem:

Exposição "Livros Portugueses Proibidos no Regime Fascista (1933-1974)

| Livros Portugueses Proibidos no Regime Fascista (1933-1974)

              

"Ainda no âmbito do tema “Liberdade” associado ao mês de Abril, a Biblioteca Municipal apresentou uma pequena mostra de “Livros Portugueses Proibidos no Regime Fascista (1933-1974)”. E isto porque, convém lembrar sobretudo aos mais novos que a Constituição Política da República de 1933 faz nascer um regime político designado de Estado Novo, substituindo assim a de 1911 que, na verdade, não era aplicada desde o golpe militar de 1926. Este regime político, o Estado Novo, foi um período durante o qual as liberdades intelectuais e coletivas foram limitadas à semelhança do que aconteceu noutros regimes totalitários e fascistas, e só acabou deposto pela Revolução de 25 de Abril de 1974. Em Portugal foi o decreto n.º 22:469, de 11 de abril de 1933, que veio instituir a censura prévia aos livros e, consequentemente, condicionar o acesso à leitura e à cultura.

O regime fascista português foi um “regime anti-cultura”. Como sabemos, a proibição, apreensão e destruição dos livros, são práticas características de um regime político de opressão e de perseguição. Nenhuma criação, desde a Poesia, o Ensaio, a Arte, a Ficção, a Filosofia e a Ciência foi poupada à censura que excluiu da leitura cerca de 900 títulos editados em Portugal. A lista de livros portugueses proibidos pelo regime fascista é vasta. Nesta exposição, são apresentados como exemplo alguns dos livros censurados que se podem encontrar na Biblioteca Municipal de Viana do Castelo. Miguel Torga, Bernardo Santareno, Natália Correia, Manuel da Fonseca, Vergílio Ferreira, Urbano Tavares Rodrigues, Mário Soares, Fernando Namora, Álvaro Cunhal, Soeiro Pereira Gomes, Manuel Alegre, José Régio, Luís Sttau Monteiro, José Cardoso Pires, Aquilino Ribeiro, Fernando Pessoa, Alves Redol, Maria Teresa Horta, Ary dos Santos, Tomás da Fonseca, são alguns dos muitos escitores portugueses censurados pelo Estado Novo. Por isso, neste mês de Abril, onde a palavra LIBERDADE se impõe, é bom recordar os autores e até lembrar a leitura de livros que não se podiam ler durante a vigência do Estado Novo."

AUTOR: Rui A. Faria Viana [Correio do Minho]

 

- Mais info: Portal da Biblioteca Municipal

LIBERDADE - 12.ª ed. Contornos da Palavra, 17 a 23 de abril







tema principal “LIBERDADE” 

formato presencial | digital


Evento que pode SER seguido 

nas REDES SOCIAIS :  FACEBOOK.




Desde 2010 que o Município promove a iniciativa cultural Contornos da Palavra e em cada edição, procura proporcionar à comunidade vianense uma oferta educativa a partir de atividades culturais e formativas que contribuam para o enriquecimento pessoal e profissional de alunos, professores e comunidade em geral.


Comunidade educativa

17 de ABRIL

“Encontro de Bibliotecas Escolares” com o tema: “Leituras para a Liberdade”

10h00 | 12h30 – Painel sobre “Bibliotecas: Leituras para a Liberdade”

Intervenientes (biografias):

Alexandre Quintanilha, cientista e Professor Jubilado

Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade

Rui Vieira de Castro, reitor da Universidade do Minho.

19 de ABRIL

(HISTÓRIA/CIDADANIA/JORNALISMO)

18h00 | 20h00 – "Todos os seres humanos têm direito à liberdade de opinião e expressão", Declaração Universal dos Direitos Humanos

Intervenientes(biografias):

Francisco Moita Flores I Escritor

João Figueira I Jornalista e professor Universidade de Coimbra

MODERADOR | António Vitorino I AE de Monserrate

  20 de ABRIL

(CIÊNCIAS)

18h00 | 20h00 – “Os vírus são estúpidos; os vírus são cegos; os vírus não existem para contar histórias aos seres humanos.», Bernard-Henri Lévy

Intervenientes (biografias):

Carlos Fiolhais I Cientista, professor Universidade de Coimbra

Ana Teresa Oliveira I ESE do Instituto Politécnico de VC

MODERADOR | Luísa Neves I ESE do Instituto Politécnico de VC      

22 de ABRIL

(ARTE/LITERATURA)

18h00 | 20h00 – “Ninguém é livre, até os pássaros estão presos ao céu», Bob Dylan

Intervenientes (biografias):

Pedro Eiras I Escritor e professor FL da Universidade do Porto

Pedro Seromenho I Escritor, ilustrador

MODERADOR | Benjamim Moreira I AE Santa Maria Maior

 23 de ABRIL

(LITERATURA)

18h00 | 20h00 – “A literatura é um processo de libertação e, por conseguinte, aspira à liberdade”, Fernando Namora

Intervenientes (biografias):

Richard Zimler I Escritor

Ana Margarida de Carvalho I Escritora

MODERADOR | Carlos Pires de Lima I AE de Abelheira

 

Para a comunidade escolar, do pré-escolar ao ensino secundário, do concelho de Viana do Castelo, uma oferta que tem por finalidade promover o livro e a leitura, e enriquecer os currículos dos diversos níveis de ensino, estimulando o gosto pelas aprendizagens e contribuindo para a formação de mais e melhores leitores:

-  sessões presenciais e digitais com a presença de escritores, ilustradores, animadores da leitura e grupos de teatro:

Animadores da Leitura / Contadores de Histórias e Espetáculos:


 


- “O Rapaz Sem Orelhas de Burro”
, a partir do livro de João Manuel Ribeiro pela Animadora e Mediadora da leitura INÁCIA CRUZ;




- “O veado florido” a parir do livro de António Torrado, dramatização pelos Serviços Educativos da Biblioteca Municipal de Viana do Castelo



- “Ailé! Ailé! Zeca Cantado e Contado” , apresentação do audiolivro dos autores José Fanha e Daniel Completo

LINK de acesso: https://youtu.be/152l_UW3X-Y

Daniel Completo e José Fanha, juntaram-se para cantar a música do Zeca com crianças e dar-lhes a conhecer alguma da poesia que o acompanhava antes e depois do 25 de Abril. Assim nasce Ailé, Ailé - Zeca cantado e contado - um livro/disco e um espectáculo que pretendem constituir-se como instrumento para a aprendizagem e a festa que necessariamente tem de a envolver.




- “VOZES EM LIBERDADE”, Pelo grupo de teatro Krisálida – Associação Cultural do Alto Minho

“Vozes em Liberdade” - Um exercício de reflexão sobre a pergunta “O que é a liberdade?”, sobre a sua importância, as suas virtudes e as suas fragilidades.

Encenação, dramaturgia e sonoplastia: Nuno J. Loureiro

Interpretação: Carla Magalhães e Pedro Roquette

Apoio Técnico: Rui Gonçalves

Apoio Produção: Joana Vilar




-  OFERTA [presencial e digital] DE UM CONJUNTO DE ESPECTÁCULOS, para todos os níveis de ensino, pelo grupo de Teatro AtrapalhArte

"A Girafa que Comia Estrelas" | “A Menina dos Fósforos” | “Rapunzel” | "Príncipe Nabo” | "Vicente e Ladino" | "Leandro o rei da Helíria" | “Aquilo que os Olhos Veem ou o Adamastor"

" Ser e Sentir Liberdade" 

– https://www.youtube.com/watch?v=v_MAIC7YCSc

Espetáculo Original, desenvolvido exclusivamente para o município de Viana do Castelo. Junta no mesmo palco Um líder da Revolução de Abril de 1974, Uma professora da década de 70, Uma Jovem Adulta que nasceu e cresceu na década de 80 e duas crianças.

Em palco serão relatados na primeira pessoa o antes, o durante e o depois do 25 de Abril de 1974, a realidade vivida e sentida nela descendência da geração da década da revolução e a opinião de dois jovens que nasceram no séc. XXI. Como encaram e sentem a liberdade. A análise deste marco da história nacional aos olhos de quem ainda se guere pela inocência e magia de ser criança.

Ser e sentir liberdade por quem esteve na linha da frente de toda a revolução, como se vivia em Portugal antes, durante e depois.

25 de Abril de 74  para as gerações do séc XXI.




- “Com asas dentro” pela Contadora de histórias Bru Junça

 


 

Autores/Ilustradores:

JOÃO MANUEL RIBEIRO, com o livro A Casa Grande : Manifesto de cidadania





 - BRUNO HORTA (TEXTO) E HELENA SOARES (ILUSTRADORA), com o livro António Variações - Uma Biografia





- SOFIA COELHO BRANCOcom o livro Fora da caixa

 




- GISELA SILVA, com o livro
ORA EÇA, Senhor Queiroz!





Por último, a programação prevê , este ano, uma palestra para o ensino secundário sobre “LIBERDADE E CONFINAMENTO: CARA OU COROA? proferida por Nuno Fadigas, Professor de Filosofia.